Obs.: Este post falará de muitas partes relevantes do filme “O Ritual” e eu não quero ser tratado como spoiler. Se você ainda não assistiu ao filme e não quer saber do seu desenrolar, não leia. Assista ao filme e volte aqui. =D

Semana passada, fui ao cinema assistir “O Ritual”. A princípio me disseram que se tratava de um filme de terror. Quem me conhece sabe que eu não sou o maior fã do estilo, então, fui relutante. Mas para a minha surpresa e para de meus amigos, o filme não se baseava apenas nas cenas de exorcismo. Era muito mais do que isso. Um filme que trata, apesar da visão católica da coisa, a questão da fé. E não apenas a fé em Deus, mas também a “fé” no Diabo.

A trama se inicia com o personagem principal trabalhando em uma funerária. Cansado dessa vida, ele resolve tomar outro rumo na sua vida, seguindo as tradições de sua família. Ou eram funerários, ou padres. Escolhendo a segunda opção, ele inicia o seminário sem nenhuma fé naquilo que estuda e convive. Lá, além das questões da fé, ele aprende sobre as questões do exorcismo, de como identificá-lo, como agir e etc. Passado os quatro anos de estudo, chega o momento de decidir se gostaria de continuar ou não. O personagem escolhe deixar essa vida por falta de fé, porém é impedido pelo seu superior, que vê futuro nele. Para tal, ele o indica para o seminário de exorcistas no Vaticano.

A partir daí, o que já era mostrado, torna-se ainda mais claro. Uma batalha entre a incredulidade e os fatos. O personagem é exposto a diversos tipos de exorcismo, possessões, e tudo aquilo que faria até o mais incrédulo acreditar na existência do Diabo. Porém, somente quando um dos padres (O sensacional Anthony Hopkins) está prestes a ser possesso, o personagem principal se rende com o seguinte diálogo:

– Ainda não acredita em mim? – disse o possesso.

– Acredito… Agora eu acredito no Diabo. Mas para tal, eu também acredito em Deus…

E assim, como em uma reconversão, o personagem encontra forças para vencer o espírito que tomava conta do padre.

Não é do meu feitio falar sobre filmes aqui, mas acho que assim como tirei lições deste filme, acho que vocês também podem tirar.

Primeiro de tudo, este fato final nos deixa um lição importante. Por vezes é de suma importância praticar a “reconversão”. Muitas vezes aceitamos a Deus da boca pra fora. Na hora da necessidade é fácil “aceitar” a Deus. Porém, na hora do confronto, muitas vezes perdemos a fé. O ato da reconversão deveria ser diário, mas como não é possível, devemos fazê-lo sempre que possível, renovando assim nossa aliança com Ele e fazendo um novo voto de fé, sempre importante para estas situações mais complicadas.

E em segundo lugar, talvez o mais importante, ao menos no meu ponto de vista, é a frase que marca o filme: “Eu acredito no Diabo”. Assustador? Talvez. Mas é a questão é que é real. Quantos de nós muitas vezes não damos a devida relevância ao Diabo. Não gostamos nem te tocar no nome. Alguns que se dizem cristãos dizem que “atrai”. Acreditem. E a questão da fé volta à tona. Eu acredito sim no Diabo, sei do seu poder, que não é nada comparado ao poder Deus. O problema é acreditar que ele não tem poder nenhum por causa disso. Se dermos lugar, ele pode controlar nossas vidas e arruiná-la, pois este é o grande objetivo dele. Ao lado da fé em Deus, devemos também nos lembrar da existência do Diabo. E é claro, como também mostra o filme, quanto maior a nossa fé em Deus, menor a relevância que daremos ao Diabo.

Mas ele existe e que te destruir, isso é real.

Abs,

Rodrigo Gomes (Tato).

Anúncios

Sobre Rodrigo Gomes

Um apaixonado por Jesus e que quer, cada vez mais, tornar-se semelhante a Ele. Buscando um coração justo e sincero, e o amor ao próximo.

»

  1. Carol Pezzolo disse:

    Mt bom esse filme( e detalhe, vc morreu de medo que eu vi..rss) o filme que vimos me fez sair pensando da sala, que devo me preocupar mais com o Diabo , pq ele tá preocupado em me roubar, matar e destruir….e outra fato que me fez arrepiar, é que tbm preciso mais declarar o poder do meu Deus na hora que a tentaçao vier….pq só assim irei vençer o mal da minha alma….
    mt bom

  2. Geisa disse:

    Sabe Tato, o problema de todo crente qdo conhece o poderio do Senhor é menosprezar o poder d satanás: um grande erro! Ele é um inimigo conhecido de todo ser humano, que usa sempre as mesmas armas contra nós e quase sempre consegue o que deseja… BRECHAS! Pecamos qdo achamos que ao saber das suas armas estamos protegidos, e isso nao é uma verdade! Só estamos realmente protegidos qdo reconhecemos as fraquezas e corremos pro colo d Jesus!
    Eu ainda nao assisti o filme, mas d coração obrigada por este post, é de grande valia! Deus o abençoe!

  3. Já disse que sou sua fã? haha.
    Falou tudo. Aliás, parabéns pela escolha do título, fiquei um tanto curiosa para saber do que se tratava (apesar de já imaginar).
    Nem preciso dizer, temos a mesma visão, graças a Deus. E realmente, algumas pessoas infelizmente não dão a devida importância a intimidade com Deus, a fortaleza da fé. E isso as torna vulneráveis ao inimigo. É fácil adorar a Deus em momentos ruins, onde pedimos com fé que algo de bom se aconteça… Más e nas horas boas? Esquecemos de Deus completamente e paramos de orar. Apesar de tudo, Deus com toda sua misericórdia, nos perdoa e continua nos abençoando.
    Só não podemos nos esquecer, que longe ou perto de Deus, o inimigo continuará tentando nossas vidas. E simplesmente ignorar sua existência não irá fazer com que os planos dele mudem, pelo contrário… É quando menos esperamos que ele vem e destrói completamente tudo.

    Muito sucesso no seu blog Rô!
    Te amo ♥

  4. Paulo Matias disse:

    O grande “medo” dos meus familiares e amigos mais próximos, quando comecei a estudar teologia, foi o medo de que viesse me afastar de Deus, desistir de Deus, ou pior, desacreditar em Deus. Frases como:
    “Não é porque está fazendo teologia que vai virar ateu.”
    “Todo teólogo é meio que incredulo.”
    “Meu Deus! Não vai virar ateu heim!”
    Levei para o primeiro ano do curso de bacharel em teologia, todas estas frases dentro de mim. Confesso que após um ano de teologia, estudando ao lado de alunos sérios e tendo a minha frente, professores, também sérios, comprometidos com o ensino coerente da verdade libertadora das Boas Novas (Evangelho). Realmente perdi a minha fé. Não, não mais acredito, em hipótese alguma, de jeito nenhum. EU NÃO MAIS ACREDITO NO DIABO!

  5. Joyce disse:

    Seu pensamento nos faz refletir… infelizmente hoje em dia as pessoas tem esse pensamento, que a graça de Deus nos afasta do Diabo, e na verdade não é bem por ai, pois Deus é um Deus de graça porém é justo…a maior rebeldia de Lúcifer foi a desobediência, e é exatamente isso que ele usa para nos afastar de Deus a incredulidade a desobediência, e acreditarmos que ele nada pode contra a nossa vida…é exatamente nesse ponto que ele pega as pessoas, na auto suficiência…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s